Série contará casos de crimes passionais ocorridos no Brasil envolvendo autoridades e famosos

7 mai 12 - Política - robert lobato - Sem Comentários

Estreia nesta terça-feira (8), às 23h, na A&E (canal 61, TVN) a série “Até que a Morte nos Separe”.

Trata-se de uma série sobre os crimes passionais mais impressionantes já ocorridos no Brasil. Em cada episódio, é analisado um dos assassinatos que chocaram o país, que tiveram como protagonistas um homem, uma mulher e uma história de amor, e que geraram grande repercussão na mídia.

A série retorna às cenas dos crimes e interroga os principais suspeitos, em busca de detalhes perdidos ou nunca antes revelados. Nos aprofunda ainda no universo da investigação forense e mostra como pequenos erros se transformaram em pistas que podem levar à solução dos casos. Material de arquivo de alta qualidade, vídeos caseiros, dramatizações, gráficos computadorizados, declarações de advogados, policiais, especialistas e inclusive dos próprios criminosos são os elementos chave desta série.

No programa de estreia o caso de funcionário da Câmara dos Deputados, José Carlos dos Santos, que em 1992 simulou um sequestro para assassinar sua esposa, e supostamente ordenar que a enterrassem viva.

Veja a programação completa de “Até que a morte nos separe”:

A BRANCA DE NEVE E OS ANÕES DO ORÇAMENTO

ACUSADO: JOSÉ CARLOS DOS SANTOS

VÍTIMA: ANA ELIZABETH LOFRANO

LOCAL: Brasília, DF/1992 – José Carlos dos Santos era, por um lado, um industrial poderoso, dedicado à sua esposa e três filhos, e por outro, gostava de orgias e práticas sadomasoquistas. Embora sempre tenha tentado proteger sua família, seu lado selvagem o superou, a ponto de simular um sequestro para assassinar sua esposa, e supostamente ordenar que a enterrassem viva.

AMOR E MORTE NA IMPRENSA BRASILEIRA

ACUSADO: PIMENTA NEVES

VÍTIMA: SANDRA GOMIDE

LOCAL: Ibiúna/SP, 2000 – Com dois disparos Antonio Pimenta, editor chefe do jornal O Estado de São Paulo, assassina sua ex-namorada Sandra Gomide, também editora do jornal e 31 anos mais nova. Neste primeiro episódio da série, tenta-se descobrir as razões que levaram um brilhante intelectual como Pimenta a cometer um crime tão atroz, e também analisar a maneira como o assunto foi tratado pelo jornal.

CORAÇÃO SELVAGEM

ACUSADO: LINDEMBERG FERNANDES ALVES

VÍTIMA: ELOÁ CRISTINA PIMENTEL

LOCAL: Santo André/SP, 2008 – Outro caso que recebeu ampla cobertura da mídia, porém, em tempo real. Em 13 de outubro de 2008, a estudante Eloá Cristina Pimentel, de 15 anos, estava reunida com mais três amigos em seu prédio em Santo André para fazer um trabalho escolar. Na ocasião, o apartamento foi invadido por Lindemberg que tinha a intenção de reatar o namoro ‘iô-iô’ com Eloá, que sempre terminava em razão dos ciúmes dele. O que se seguiu a isso foi um sequestro que durou quatro dias e foi acompanhado por 200 jornalistas instalados nas imediações.

PENALIDADE MÁXIMA

ACUSADO: BRUNO FERNANDES

VÍTIMA: ELIZA SAMUDIO

LOCAL: Minas Gerais, 2010 – Crime que chocou o país em virtude da crueldade de seu mandante.  A história envolve o assassinato e esquartejamento de Elisa, ex-amante do goleiro Bruno, reconhecido em seu clube, o Flamengo, e cotado para defender a seleção brasileira em 2014.

O PROMOTOR FUGITIVO

ACUSADO: IGOR FERREIRA DA SILVA

VÍTIMA: PATRÍCIA AGGIO LONGO

LOCAL: Atibaia, SP/1998 - Na noite de 04 de junho de 1998, Igor Ferreira, promotor público, voltava para casa com Patricia Aggio, sua esposa grávida de oito meses, quando foram interceptados por dois homens armados que queriam roubá-los, mas infelizmente a mulher foi morta com dois tiros. Para a Justiça, Igor camuflou dessa maneira o assassinato de sua esposa, embora seus familiares afirmem que ele é inocente.

Tags :

Deixe um Comentário