José Sarney ladeado pelo prefeito Carrinho e o vice-prefeito Isaac Dias.

José Sarney ladeado pelo prefeito Carrinho e o vice-prefeito Isaac Dias.

Depois de cumprirem agenda com o vice-presidente da República, Michel Temer, em Brasília, o prefeito e vice-prefeito de São Bento, Carrinho e Isaac Dias, respectivamente, foram recebidos pelo ex-senador José Sarney no escritório do líder peemedebista.

Os três baixadeiros conversaram sobre a situação atual da política maranhense, além de assuntos corriqueiros da região da Baixada.

Carrinho e Isaac convidaram o ex-presidente para uma visita a São Bento, no que Sarney aceitou e deverá agendar o desembarque na cidade no início do mês de agosto, momento em que o imortal da Academia Brasileira de Letras doará um acervo de dez mil livros para a Casa de Cultura José Adriano Costa, local onde Sarney passou parte sua infância.

“Foi uma agenda muito boa e descontraída. O presidente Sarney, como sempre, muito simpático e atencioso. Trocamos impressões sobre o momento político no Maranhão, conversamos sobre projetos para a Baixada Maranhense, e eu e o prefeito Carrinho aproveitamos para convidá-lo para uma visita a São Bento. O presidente aceitou e deverá estar na cidade no início do mês de agosto. Sarney anunciou que doará 10 mil livros para a Casa de Cultura José Adriano Costa, local onde ele morou durante a infância. Vamos fazer uma grande programação para recepcionar o nosso mais ilustre baixadeiro”, disse Isaac Dias.

IMG-20150703-WA0288

Sarney se colocou ainda à disposição para ajudar nas demandas de São Bento junto aos Ministérios e demais órgãos do Governo Federal.

Como se pode ver, foi muito produtiva a agenda de trabalho do prefeito Carrinho e do seu vice, Isaac Dias, em Brasília.

É isso aí.

Sempre valorizando as discussões em prol dos direitos humanos, o deputado Wellington do Curso (PPS) participou, na tarde desta sexta-feira (3), do Seminário sobre Rede Legislativa de Rádio e TV digital no interior do Brasil, promovido pela Câmara dos Deputados, em parceria com a Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão.

O evento, que visa divulgar as ações legislativas aos cidadãos e orientar as assembleias estaduais e as câmaras municipais sobre a criação das suas próprias emissoras de rádio e TV, aconteceu no auditório Neiva Moreira, da Casa Parlamentar, e contou com a presença dos deputados federais Cleber Verde (PRB-MA), secretário de Comunicação da Câmara dos Deputados; Sarney Filho (PV-MA), Waldir Maranhão (PP-MA), vice-presidente da Câmara dos Deputados, e Leonardo Quintão (PMDB/MG); os deputados estaduais Othelino Neto (PC do B), Adriano Sarney (PV) e Júnior Verde (PRB); o secretário de Estado de Comunicação, Robson Paz; a presidente da Câmara de Caxias, Ana Ximenes, além de representantes da imprensa e da área de comunicação do Maranhão.

Para Wellington, que sempre valorizou a Comunicação e já apresentou proposições em defesa dos profissionais da área, ela é indispensável em todas as situações e ações, além de ser o instrumento formador de opiniões da sociedade.

“A comunicação é uma das mais importantes necessidades humanas, depois da sobrevivência física. O homem é um ser social e necessita da comunicação para o seu desenvolvimento social e intelectual. É através das informações que formamos gradualmente as opiniões, conceitos e juízos que nortearão nossa vida, sem os quais seria impossível a convivência. Nós, principalmente enquanto parlamentares, representando a voz do povo, nos comunicamos para sermos reconhecidos e aceitos pelo que somos e pelo que temos a apresentar. Nós somos do tamanho da comunicação que conseguimos estabelecer no meio em que vivemos, seja socialmente ou profissionalmente”, enfatizou o parlamentar que, na oportunidade, parabenizou os profissionais de comunicação da Assembleia Legislativa pelo trabalho que vêm desenvolvendo.

Entenda o projeto Rede Legislativa

A Rede Legislativa de TV é resultado de parceria entre a Câmara dos Deputados, o Senado Federal, assembleias e câmaras municipais, por meio de acordos de cooperação, com o objetivo de viabilizar e ampliar a transmissão do sinal de TV digital aberto e gratuito das emissoras legislativas por todo o País. O acordo prevê que Câmara e Senado instalem as operações das emissoras das duas Casas em 13 capitais cada, dividindo o canal e, por consequência, os custos de transmissão.

Abdon_MarinhoO advogado maranhense Abdon Marinho entra na polêmica sobre a redução menor idade em artigo onde faz duras críticas ao parlamento e ao governo brasileiros.

Na opinião de Marinho, “as políticas governamentais nos últimos doze anos nunca foram de enfrentamento da violência, o governo, o partido do governo, seus aliados e essa gama de ‘intelectuais’ que orbitam em torno do do poder, têm uma visão romantizada do crime”.

Vale a pena ler até o final, pois mesmo não concordando com algumas premissas do nobre operador do Direito, nunca é demais o debate sobre tão complexa questão. Confira:

A INSENSATA DEFESA DA IMPUNIDADE.

“Não matarás”.

“A manutenção das coisas como estão servem muito mais ao crime que aos jovens.”

Aos que crêem este é o quinto mandamento do decálogo, o conjunto de leis escrita pelo próprio Deus e entregue a Moisés, conforme narrado no livro do Êxodo.

No direito penal brasileiro, este é o delito mais grave. O artigo 121 é taxativo: Matar alguém. Em seguida trás a pena, logo depois as demais condições que agravam, reduzem ou eliminam a pena.

Alheios à lei dos homens e também aos mandamentos, estão os criminosos brasileiros que ainda não completaram dezoito anos que, aos olhos do nosso ordenamento jurídico, não têm a capacidade de distinguir a gravidade dos seus atos e, por isso mesmo, possuem uma licença especial do Estado para matar quantos forem capazes, sofrendo como única consequência, uma internação que não pode ser superior a três anos, que depois de cumprida ou não (a larga maioria nunca cumpre o período de internação) pode sair às ruas com a ficha limpa, como se nunca tivesse causado o mal ou a desgraça de nenhuma família. E se ainda menores poderão continuar sua carreira de crimes.

Se têm menos de doze anos, ainda que mate mil pessoas, sequer pode ser detido. Sai pela porta da frente como se nada tivesse feito.
Isso está correto?

A maioria da população brasileira, quase 90% (noventa por cento), acha que não. Infelizmente, e na mesma proporção, este não é o entendimento dos seus representantes na Câmara dos Deputados, quando 30% (trinta por cento) se manifestaram contra a redução da maioridade penal e pela manutenção da licença para matar e para cometer todo tipo crime, aos menores de 18 e maiores de 16 anos.

Mais do isso, capitaneados pelo governo brasileiro, que atualmente tem menos de dez por cento de aceitação (será esta uma das causas?) acham que noventa por cento da população não só está equivocada, como também é conservadora, retrógrada, racista, burra e homofóbica (conforme disse um deputado), tudo porque essa larga, estupenda maioria de cidadãos, entendem não ser aceitável que determinados crimes fiquem impunes, que aos seus autores recaia os rigores da lei.

Aqui, então, temos um questionamento, que democracia é esta em que uma minoria tem o poder de impor seu pensamento à maioria?

O Brasil precisa de mecanismos de confirmação de mandato. Como é possível que um parlamento tão distante e dissociado do pensamento dos eleitores possa ainda permanecer por mais três anos e meio? Ao meu sentir, o parlamento brasileiro carece de legitimidade. Vamos em frente.

Pior que o distanciamento dos parlamentares do que pensa seus patrões (o povo), é o açodamento raivoso com o que defende estas ideias.

Um estrangeiro que acompanhasse as últimas sessões da Câmara, seria tentado a pensar que a proposta de redução da maioridade penal tem por propósito encarcerar todos os jovem do país ou que a ideia seja mandar prender os seminaristas do Brasil e não criminosos pela pratica de crimes graves, hediondos. Criminosos que possuem uma longa ficha, com roubos, estupros, latrocínios, lesão corporal grave, etc.

Estranharia mais ainda por saber que as pessoas que se dizem mais estudadas, intelectuais, têm na impunidade uma estratégia de combate à violência.

Trata-se de uma inovação dos trópicos. Nenhum país do mundo reduziu a criminalidade apostando na impunidade. Nações civilizadas, modelos de democracia, punem criminosos que tenham cometido crimes até antes dos dez anos de idade.

No resto do mundo não há um alvoroço todo por uma coisa que lógica: um crime, uma penalidade, independente de quem os cometa.

Aqui, no nosso país, temos o governo e partido da presidente, cerrando forças, inclusive, com interferências indevidas no trabalho do parlamento, para impedir a a aprovação da redução da maioridade penal.

O ministro da justiça foi escalado para dizer que a aprovação causaria uma caos ainda maior no sistema carcerário nacional. Houve denuncias, ainda, de trocas de favores poucos republicanos com os parlamentares para que votassem contra.

Alegam, os valentes defensores da impunidade, que a solução é maior investimento em políticas sociais, em educação, etc., como se uma coisa invalidasse a outra.

O argumento não é apenas ingênuo, é tolo.

Os cidadãos que defendem a redução não estão dizendo que com a sua aprovação se deva cessar os investimentos em políticas públicas, em educação, em assistência social, pelo contrário. Políticas públicas e combate a criminalidade, punição dos delitos não são excludentes.
Devemos ter escolas de qualidade e políticas públicas para os querem estudar e cadeia para os que cometem crimes.

Defender que são coisas que se excluem é um forçoso exercício de falsidade intelectual.

Tão pouco estamos dizendo que a redução é solução para criminalidade.

O que estamos dizendo é que a redução tem caráter inibidor da violência, que o cidadão sabendo que o seu ato será punido ele pensará duas vezes antes de praticar o crime.

O que acontece hoje, é que, com a certeza da impunidade, estes criminosos menores, são mais violentos que os criminosos adultos, capazes de atos bárbaros, por isso estão chefiando quadrilhas, matando, estuprando…

A manutenção das coisas como estão servem muito mais ao crime que aos jovens.

A exceção dos governistas e seus aliados, qualquer pessoa, principalmente os que já foram vítimas de violência envolvendo menores, sabem disso.

Quem não lembra a dentista que foi incendiada viva por um menor? A jovem que foi esmagada por outro – que depois disse ter passado com o carro sobre ela por que quis? O caso daquele outro que no dia anterior ao aniversário de 18 anos resolveu matar a namorada? O jovem que voltava da escola e foi assassinado na porta da casa por um menor? O caso de Castelo (PI) em que estupraram, torturaram, mutilaram e atiraram as quatro adolescentes de um penhasco de mais de 20 metros e depois ainda desceram para as apedrejar, causando a morte de uma? Os menores envolvidos já tinham uma longa ficha policial, um, com 15 anos, já registrava mais de cem passagens.

Vejam que ironia, as jovens além de menores são também mulheres, entretanto a vida da que morreu e o sofrimento e torturas das que ficaram vivas é menos importante que a vida dos seus algozes. Repito: isto está correto?

Não deixa de ser estranho, também, o fato do governo e os partidos que se colocam contra a punição de criminosos cruéis, conhecerem saberem qual é a solução para o problema e, estando no poder há doze anos e meio não o terem resolvido. Os criminosos que tentam por todas as formas proteger neste momento, mal eram nascidos quando estes sábios chegaram ao poder. Por que não impediram que viessem a delinquir? Por que não implantaram suas políticas que sabem ser a solução para a criminalidade?

Pois é, nada fizeram e, se fizeram, suas ações não surtiram resultados. Na verdade os resultados foram opostos. Se pegarmos os mapas ou anuários da violência vamos verificar que nos últimos doze anos e meio o crescimento da violência foi quase que exponencial se comparados aos doze anos anteriores. Basta comparar.

As políticas governamentais nos últimos doze anos nunca foram de enfrentamento da violência, o governo, o partido do governo, seus aliados e essa gama de “intelectuais” que orbitam em torno do do poder, têm uma visão romantizada do crime. Acham que todo criminoso é vítima da sociedade; que todo criminoso pode ser recuperado; que a sociedade, a classe média, ou os mais ricos, devem sofrer com a ação dos criminosos. Devem ser punidos por trabalhar de sol a sol, por pagarem impostos escorchantes.

Não faz muito tempo, ouvi alguém tecendo loas ao assalto a um centro comercial. Ignoram, estes sábios, que as maiores vítimas da violência são os mais pobres, são os jovens.

A sociedade brasileira, diferente dos seus representantes, sabe disso.
Com essa visão distorcida, muitas das políticas foram implantadas no sentido de enfraquecer a instituição familiar, como se o Estado pretendesse assumir o pátrio poder dos pais. O desastre foi posto.

O resultado do que fizeram está aí sendo visto e sentido por todos.

Abdon Marinho é advogado.

ufmaTrês novos prédios da Universidade Federal do Maranhão foram inaugurados nesta sexta-feira, 3: a Faculdade de Medicina, na praça Gonçalves Dias, o Laboratório de Bromatologia e Microbiologia de Alimentos e o Laboratório de Ciência e Tecnologia, ambos na Cidade UNiversitária do Bacanga. As obras, que fazem parte da política de expansão da universidade e somam investimento de quase 2,8 milhões, tiveram, nas suas respectivas solenidades, a presença do reitor Natalino Salgado, de coordenadores de curso, diretores de centro e do secretário de Educação Superior do Ministério da Educação (MEC), Jesualdo Farias.

ufma2A Faculdade de Medicina, localizada no antigo prédio do ILA, na Praça Gonçalves Dias, Centro, consiste em uma área de 2.610 m², onde foram reformados a Biblioteca Setorial e diversas salas e laboratórios, como o Laboratório de Habilidades Práticas e Habilidades Realísticas do curso de Medicina. O espaço é dedicado para aulas preparatórias e de simulação de cirurgias, capacitando os alunos antes destes iniciarem atividades reais, com pacientes.

O novo prédio conta com um auditório com capacidade para 150 lugares, oito salas de aula, laboratório de saúde mental, sala dos professores, sala de observação, sala de simulação e quatro sala de RPG. As obras de reforma e adaptação consumiram R$ 1.304.902,44. Na solenidade de inauguração, foram homenageados o fundador da Universidade Federal do Maranhão, Dom José de Medeiros Delgado, e o primeiro diretor da Faculdade de Medicina, João Bacelar Portela.

ufma3Na Cidade Universitária foram inaugurados o Laboratório de Bromatologia e Microbiologia de Alimentos, em uma área de 192m² do curso de Nutrição, no Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). O epaço dará um suporte qualificado ao desenvolvimento das atividades acadêmicas do curso, que é avaliado com conceito 5 pelo MEC, a nota máxima. Para sua construção foram investidos R$ 312.941,29. O laboratório está equipado para realizar diversas pesquisas e análise de alimentos, possibilitando, inclusive, estudos para a criação de alimentos a pessoas com dietas restritivas.

Ainda no campus, foi entregue o novo prédio do Laboratório de Ciência e Tecnologia. O imóvel possui 672 m² no térreo e 302,8 m² na parte superior, contendo o Laboratório de Física, Laboratório de Química, sala de professores, sala multiuso, Laboratório de Eletrônica, Laboratório Civil e Laboratório de Materiais e Ensaios Mecânicos, além de salas de aula no pavimento do subsolo. A obra foi orçada em R$ 1.113.058,48 e a estrutura abrigará, principalmente,as aulas do curso de Bacharelado Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia, que recebe, por ano, 480 novos alunos.

O reitor Natalino Salgado expressou satisfação pelas entregas das obras. “É uma grande alegria estarmos inaugurando novos prédios e reforçando o ensino, a pesquisa e a extensão, mesmo em tempos difíceis, o que demonstra o empenho de toda nossa equipe e o compromisso desta universidade com a educação dos jovens de nosso estado e do país”. O secretário de Educação Superior do MEC, Jesualdo Farias, ressaltou a contribuição que a UFMA tem dado para o desenvolvimento do ensino superior. “O trabalho aqui realizado atesta o compromisso que a UFMA tem com a reestruturação de toda a universidade, atendendo demandas em diversas áreas”, frisou.

As belas índias do Boi Brilho de Urbano Santos.

As belas índias do Boi Brilho de Urbano Santos.

O “São João 2015” de Urbano Santos entrará para a história. A Prefeitura – organizadora do festejo junino, por meio da Secretaria Municipal de Cultura – registrou recorde de público durante as 10 noites de apresentações folclóricas e shows artísticos. A temporada de sucesso foi encerrada na última terça-feira (30 de junho) com as participações da Companhia Barrica, Bumba-meu-boi de São José de Ribamar e Brilho de Urbano Santos.

Apresentação do Boi Brilho de Urbano Santos.

Apresentação do Boi Brilho de Urbano Santos.

Um verdadeiro espetáculo de cores e ritmos encantou milhares de expectadores presentes no último dia de festa. A expectativa do público era imensa para assistir à Companhia Barrica, que se apresentou pela primeira vez em território urbanossantense. A prefeita Iracema Vale prestigiou o encerramento da festa, acompanhada do vice-prefeito Miguel Mesquita, de secretários municipais e de familiares.

Prefeita Iracema Vale recepciona os brincantes do Boi de São José de Ribamar.

Prefeita Iracema Vale recepciona os brincantes do Boi de São José de Ribamar.

“Sempre contribuirei e incentivarei as ações em prol da cultura maranhense. Para mim é uma satisfação imensa proporcionar ao povo urbanossantense um festejo junino em que boa parte das nossas tradições folclóricas estão aqui representadas por grupos locais ou do estado. Preparamos uma festa para trazer alegria às famílias, que corresponderam de forma positiva. Prova disso é o recorde de público que tivemos durante os 10 dias”, declarou a prefeita.

O Boi Barrica também animou o São João de Urbanos Santos.

O Boi Barrica também animou o São João de Urbanos Santos.

Outras quatro apresentações culturais marcaram o encerramento da festança de São João. A Dança Country “Estrela de Prata”, do bairro Santo Antônio; a Dança Portuguesa “Império Classe A”, do bairro da Fazenda; e a Dança “Samaber”, da escola Bertilla. E merece destaque a Dança “Carimbó dos Idosos”, do Centro de Convivência da Secretaria de Assistência Social, que encantou, contagiou e arrancou aplausos da plateia que lotava as arquibancadas e arredores da quadra do Peneirão.

Confira as imagens desse que foi o melhor São João da região do Baixo Parnaíba:

Dança Samaber.

Dança Samaber.

Dança Portuguesa Império Classe A.

Dança Portuguesa Império Classe A.

Dança Country Estrela

Dança Country Estrela de Prata.

A terceira idade também foi contemplada na programação...

A terceira idade também foi contemplada na programação…

Uma multidão prestigiou a vasta programação do São João de Urbano Santos.

Uma multidão prestigiou a vasta programação do São João de Urbano Santos.

Em Trizidela do Vale, local onde deveria ter creche dá lugar a “circo”, segundo fonte do blog.

Pref. Fred Maia teria usado recurso da educação para pagar servidores municipais.

Pref. Fred Maia teria usado recurso da educação para pagar servidores municipais.

E vai chegando mais um bagaço do prefeito de Trizidela do Vale, Fred Maia (PMDB).

De acordo com informações recebidas pelo Blog do Robert Lobato (conforme documentos ‘printados’ abaixo), o município recebeu um montante de 408 mil reais através de convênio com o FNDE para construção de uma creche no bairro do Aeroporto.

A mesma fonte que enviou as informações, também indicou o suposto rastro do dinheiro público.

Pelo que chegou ao blogueiro Bob Lobato, consta que este valor foi utilizado para pagamento dos funcionário públicos municipais no mês de janeiro de 2014, o que caracteriza desvio e uso indevido do erário (pelo menos é o que se pode concluir a partir da movimentação financeira da prefeitura, veja abaixo).

Enquanto a administração atual fica brincando de gerir os recursos da cidade, milhares de crianças estão sem espaços adequados para educação, alimentação e lazer.

“A pergunta que muitos trizidelenses devem estar se fazendo a esta altura é: cadê o dinheiro que estava aqui? Ou melhor, onde está o recurso da creche para as crianças? Teria o Prefeito Fred Maia, transformado a política local num grande circo com show de palhaços?”, questiona a fonte que enviou mais essa traquinagem do senhor Fred Maia.

circoO Blog do Robert Lobato, porém, está aberto para possíveis esclarecimentos da Prefeitura e/ou do prefeito de Trizidela do Vale. Confira print dos documentos:

 doc_BB2
doc_BB

O superintendente da Caixa Econômica Helio Duranti e o deputado estadual Zé Inácio

O superintendente da Caixa Econômica Helio Duranti e o deputado estadual Zé Inácio

O deputado estadual Zé Inácio (PT), se reuniu na última quarta-feira com o Superintendente Regional da Caixa Econômica no Maranhão, Hélio Duranti.

Durante a reunião o parlamentar solicitou urgência na implantação de Caixa Eletrônico da Caixa no Porto Cujupe.

Inácio lembrou que no mês de maio foi aprovada na Assembleia Legislativa uma indicação nesse sentido.

“A implantação de caixas eletrônicos no Porto do Cujupe facilitará significativamente a vida de milhares de pessoas que todos os dias transitam naquele local”, explicou.

O Superintendente garantiu atendimento à solicitação e informou que aguarda apenas a finalização de um acordo com o Banco do Brasil e o Itaú para a instalação de um terminal que atenderá as três instituições bancárias.

MINHA CASA, MINHA VIDA

O deputado aproveitou a oportunidade e solicitou agilidade nos projetos do Programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal.

Inácio destacou que a construção de unidades habitacionais populares tem erradicado significativamente o déficit habitacional do País e permitido que mais brasileiros realizem o sonho da casa própria.

De acordo com o superintendente o Programa será retomado e a sua terceira etapa será lançada pelo Governo Federal em agosto.