fd_sorvete

Enquanto o governador Flávio Dino se refresca com um sorvetinho de coco na casquinha…

jerry_engraxate

(…) o seu secretário de Articulação Política, jornalista Márcio Jerry, aproveita para dar um grau no ‘pisante’ com o conhecido engraxate “Vamos Lá”.

Sem dúvida imagens, digamos, diferentes.

“The Book of Souls” mantem-se fiel à pegada elaborada nos discos dos anos 2000. Veja 5 motivos que fazem a banda pop e jogue um game do mascote Eddie.

Por: Jaime Silva, Zero Hora

Depois de cinco anos sem um álbum de inéditas e de meses de apreensão com o estado de saúde do vocalista Bruce Dickinson, que no início do ano anunciou estar se tratando de um câncer na língua, o Iron Maiden põe fim à ansiedade dos fãs. Chega às lojas físicas e virtuais nesta sexta-feira The Book of Souls, 16º trabalho de estúdio da icônica banda britânica de heavy metal. São 11 faixas distribuídas em 1h33min de duração – em CD, o formato é duplo.

Responsável por ajudar a remodelar as estruturas do heavy metal e popularizar o gênero na década de 1980, somando mais de 85 milhões de álbuns vendidos, o Iron Maiden construiu uma base tão fiel quanto radical de fãs. Para aqueles que preferem a fase inicial da banda, quando o grupo chegava a flertar com o punk rock, The Book of Souls pode soar pretensioso e cansativo. Afinal, apenas uma composição tem menos de cinco minutos. Já os que apreciam a produção da banda a partir dos anos 2000, quando os britânicos passaram a apostar em faixas mais longas, com clara influência do rock progressivo, podem achar o novo trabalho bem mais interessante.

Imagem de Amostra do You Tube

The Book of Souls soa mais consistente que os dois últimos discos do Maiden – The Final Frontier (2010) e A Matter of Life and Death (2006) –, com arranjos melhor estruturados e músicas menores distribuídas entre as mais extensas. Prova disso é Speed of Light, faixa que poderia estar perfeitamente nos primeiros álbuns da banda. Também se sobressaem as rápidas e diretas When the River Runs Deep, que traz uma empolgante sequência de riffs, e Death or Glory, com um refrão que convida a cantar junto. Por falar em cantar, a voz de Dickinson está intacta – as gravações se encerraram antes de o vocalista descobrir o tumor.

Entre as faixas mais longas, se destaca Empire of the Clouds, que em seus 18 minutos traz arranjos de cordas e longos trechos apenas ao piano (algo inédito para a banda), além de uma emocionante interpretação de Dickinson.

Resta agora esperar para conferir o desempenho ao vivo da banda. A turnê começa só em fevereiro de 2016, e há shows previstos para março no Brasil, mas as cidades incluídas ainda não foram anunciadas.

THE BOOK OF SOULS
Iron Maiden
Heavy metal, Warner, 11 faixas, R$ 44,90 (CD duplo, em média) e US$ 11,99 (iTunes)
Cotação: 4 de 5

Caminho da Luz: Ouvi-te em tempo aceitável. CAMPANHA – Contribua com “O Mundo Espiritual”.

Quem é? Sou Raimundo de Sá Pacheco Cruz, pseudônimo “Pacheco do Maranhão” autor do livro “O Mundo Espiritual”, filho de Raimundo Pacheco Cruz e de Edleuza Benício de Sá, casado, pai casal de filhos, mulher Márcia, filhos Junior e Karen Rafaela. Professor Pedagogia, natural de São Luís do Maranhão, moro em Paço do Lumiar na Grande São Luís. Tive ordem transcendente através do Anjo Gabriel para transmitir conselhos e confirmar tudo sobre o mundo espiritual o Reino dos Céus, sobre a vida temporal e espiritual, do pecado, da justiça e juízo. Para todos os povos e nações.

Qual objetivo? Venho por meio desta campanha pedir vossa ajuda para divulgação deste livro, preciso de apoio financeiro para o lançamento e a divulgação da obra; é a vontade do Senhor de toda Terra Jesus. A Paz esteja sempre convosco amigos e amigas. Pois este livro é imprescindível na vida do ser humano, não importa as religiões ou cultura em geral que as pessoas procedam, pois tudo isso é relevante, as pessoas precisam conviver com suas diferenças, principalmente culturais. Segui as categorias deste livro: Autoajuda, desenvolvimento humano e religião, sendo didático no ensino em Religião, tem importância no incentivo à leitura e na convivência universal entre os povos minimizando a intolerância, a discriminação e o preconceito, ensinando assim a conviverem com respeito, compreensão e amor.

O que vai ser feito com o recurso arrecadado? Para divulgação e lançamento deste livro é necessário: 100 (cem) exemplares do livro; 10 (dez) banners; anúncios em jornais, TV e internet. Total: R$ 16.122,00, já incluso a porcentagem da KICKANTE.

A Kickante cobra uma taxa administrativa para as Campanhas Flexíveis como esta, caso a campanha atinja a meta estabelecida, a taxa, é 12% do valor arrecadado! Aos doadores a KICKANTE tem “MoIP” e oferece opções diferentes de meios de pagamento: cartões de crédito e boleto. E os contribuidores poderão parcelar pagamentos em até 6 vezes (para valores acima de 50 reais)!

Universidade é a primeira do Nordeste a estabelecer parceria com a instituição francesa

natalA Universidade Federal do Maranhão firmou convênio a Universidade Paris-Diderot, a maior instituição de ensino superior da França, em ato realizado no gabinete do reitor Natalino Salgado. O convênio tem por objetivo realizar estudos comparativos entre realidades culturais, políticas, religiosas, científicas com São Luís e Paris, França e Brasil. O ato contou com a presença da professora do Departamento de Sociologia, Marilande Abreu; da assessora de Relações Internacionais, Conceição Araújo e do professor da Universidade Paris-Diderot, Christian Hoffmann.

Segundo Natalino Salgado, A UFMA avançou muito nas relações internacionais nos últimos anos. “A finalidade do intercâmbio é trocar experiências e compartilhar conhecimentos. Com essa parceria, a nossa universidade saltou de quatro convênios com outros países, em 2007, para 75 convênios internacionais, em 2015. Outros trinta estão em negociação com grandes universidades estrangeiras, o que irá projetar cada vez a UFMA no cenário internacional”, enfatizou.

De acordo com professora Marilande Abreu, que fez o doutorado na universidade francesa, a parceria irá priorizar a interdisciplinaridade entre as duas instituições. “A universidade Paris-Diderot tem uma forte tradição de estudos interdisciplinares entre antropologia, psicanálise, sociologia e filosofia e pretendemos transpor essa troca de conhecimento para o nossa realidade acadêmica”, disse. O projeto terá a participação dos Departamentos de Letras, Psicologia e Ciências Sociais.

Christian Hoffmann discorreu sua expectativa com o convênio. “Já temos convênios com universidades de São Paulo, mas a UFMA é a primeira universidade do Nordeste do Brasil que realizamos uma parceria. Esperamos que haja uma grande mobilidade entre os dois países”, declarou o psicanalista francês.

A validade do convênio entre a UFMA e a Universidade Paris-Diderot é de cinco anos e está direcionado para alunos de graduação, mestrado, doutorado, pós-doutorado e técnico-administrativos. Durante a vigência do convênio serão realizadas trocas e experiências científicas e culturais, através de organização de seminários, colóquios internacionais, revista para publicação dos artigos provenientes da experiência de intercâmbio, conferências, entre outras atividades que serão definidas no decorrer do intercâmbio.

O convênio é fruto do trabalho desenvolvido pelos grupos de pesquisa Religião e Cultura Popular (GPMINA), coordenado pelos professores Sergio Figueiredo Ferretti e por Mundicarmo Ferretti, e pelo Grupo de Pesquisa em Psicanálise e Ciências Sociais, coordenado pelos professores Marilande Abreu, Arinaldo Martins, Conceição Furtado e Rafael Quevedo.

O deputado Wellington tem se destacado por sua atuação em todo o estado do Maranhão.

O deputado estadual Wellington de Curso (PPS) foi alvo de críticas, algumas até agressivas, após ter feito, de surpresa, uma visita ao Hospital Municipal de Imperatriz (Socorrão), no dia 28 de agosto.

Para alguns dos críticos, o parlamentar não estaria credenciado a fazer as denúncias sobre o estado lastimável do Socorrão imperatrizense, que está tomado por baratas (reveja), porque não é da região e ao invés de apontar as mazelas deveria propor soluções.

Bom, em primeiro lugar, Wellington não é deputado de Região A ou B , mas de todo o MARANHÃO, logo não somente está credenciado como LEGITIMADO a fazer qualquer denúncia em qualquer pedaço de chão deste estado.

Em segundo lugar, o deputado popular-socialista não fez apenas a denúncia sobre o Socorrão de Imperatriz. Ele foi, por exemplo, o único parlamentar que teve a coragem de levar à tribuna da Assembleia Legislativa o caso da morte dos recém-nascidos na Maternidade Carmosina Coutinho, em Caxias. Aliás, Wellington chegou a pedir até CPI para apurar o episódio.

O mesmo ocorre em relação a algumas denúncias feitas contra a gestão do prefeito Edivaldo (vide caso da Ponte ‘Pai Inácio’).

Nesse sentido, é uma tremenda bobagem criticar o deputado Wellington por sua atuação, principalmente quanto a esse caso do Socorrão de Imperatriz. Além de bobagem é uma injustiça, pois o deputado tem várias proposições para beneficiar a segunda maior cidade do Maranhão, a exemplo da solicitação do curso de Medicina no campus local da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), a implantação das Unidades de Segurança Comunitária, entre outras.

Quiçá a maioria dos nossos nobres parlamentares tivesse a mesma disposição do bravo Wellington do Curso…

Leia também: Após denúncia do Deputado Wellington, Câmara de Vereadores de Imperatriz não descarta criação de CPI, no blog do Maranhão de Verdade, editado por Wallace “Gordinho”.

O Coordenador da Bancada do Maranhão disse que prorrogação da DRU não é um bom caminho, e sim uma Reforma Tributária e implantação de um novo Pacto Federativo.

O deputado federal Pedro Fernandes (PTB-MA) propôs que a PEC 87/2015, de autoria do poder executivo, não seja aprovada e que, em vez disso o Governo entre em diálogo com o Congresso para se aprovar a Reforma Tributária e implantar um novo pacto federativo.

A proposta do parlamentar trabalhista foi apresentada durante encontro da Bancada do Nordeste nessa quinta-feira (3/9), reunião da Comissão da Reforma Tributária e também em pronunciamento no Plenário da Câmara,

A PEC 87/2015 prorroga a DRU até 31 de dezembro de 2023 e altera a sua forma de cálculo de 20% para 30% sobre as receitas oriundas das contribuições sociais e econômicas, as taxas arrecadadas, os fundos constitucionais (FCO, FNE e FNO) e as compensações financeiras pela utilização de recursos hídricos para geração de energia elétrica e de outros recursos minerais.

– Propus essa tese porque acredito que ela resolve essa crise política e econômica que estamos vivendo em vez de ficar criando impostos. Em vez de fazermos um arremedo, ao dizer que vai criar a CPMF e depois voltar atrás, dizer que vai prorrogar e ampliar a DRU e vai ter de voltar atrás, porque nós haveremos de não aprovar essa DRU, o Executivo, neste momento, deveria aproveitar essa crise para fazermos esse grande acordo – sugeriu o coordenador da Bancada do Maranhão.

Para o deputado, a Reforma Tributária está madura para ser votada.

– Já são 20 anos de discussão. Vários relatores já passaram pela Comissão da Reforma e deixaram suas contribuições. Então, ela já está pronta para ser votada e implementada. O Momento agora é de um pacto e chamar os governadores. Não haverá perda de receita para ninguém. Vamos desonerar a produção e centrar mais na renda. Essa crise tem solução – afirma Pedro Fernandes.

DRU

Criada em 1994 com o nome de Fundo Social de Emergência (FSE), essa desvinculação foi instituída para estabilizar a economia logo após o Plano Real. Na época, as parcelas transferidas para estados e municípios não eram excluídas do cálculo, o que passou a ocorrer a partir de 2000, quando foi adotado o nome de DRU (Desvinculação das Receitas da União).

A regra vigente, que expira no final desse ano, permite ao governo desvincular até 20% das receitas das contribuições sociais – excetuando as previdenciárias – para o orçamento fiscal. A partir de então, esses recursos podem ser usados, por exemplo, para o pagamento de juros da dívida. As contribuições sociais fazem parte do Orçamento do setor público, e financiam os gastos com saúde, assistência social e previdência social.

Os recursos obtidos com a desvinculação ajudam o governo federal a atingir a meta de superavit primário, permitindo o manejo de recursos para despesas como o pagamento de juros da dívida pública, que não são vinculadas por lei às receitas.

Prefeito Domingos Araken garantiu a participação da Prefeitura de Alcântara nas ações do Projeto Porto Comunidade

Prefeito Domingos Araken garantiu a participação da Prefeitura de Alcântara nas ações do Projeto Porto Comunidade

O prefeito de Alcântara, Domingos Araken (PT) consolidou mais uma importante parceria da Prefeitura com o Governo do Maranhão. É a Ação Social Porto Comunidade, que acontecerá nos dias 22, 23 e 24 deste mês, pela manhã e a tarde, no Terminal de Passageiros de Cujupe, e no povoado Cajueiro. Uma realização inédita da atual gestão com a Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap).


Centenas de famílias quilombolas do município serão beneficiadas com serviços gratuitos de promoção à cidadania, emissão de documentos, serviços de saúde, palestras educativas e atividades recreativas. Todas as ações são destinadas às crianças, jovens e adultos e servidores municipais. Voluntários da Emap, Setres, Sedel, Sedes e Prefeitura de Alcântara participarão dos trabalhos durante três dias de intensas atividades sociais.

CartazSediado em Alcântara, o Terminal de Cujupe é o modal marítimo para o Norte do Maranhão. O Prefeito Domingos Araken destacou que “por meio do Projeto Porto Comunidade, o Governo Flávio Dino interage e reforça a sua participação no desenvolvimento social das comunidades quilombolas de Alcântara. Essa ação social é mais uma forte parceria consolidada com o Governo do Maranhão”, disse Araken

Neste ano, a Prefeitura de Alcântara já garantiu junto ao Governo do Maranhão a doação de toneladas de sementes de milho, arroz e feijão aos agricultores familiares do município, a participação de artesãos e produtores rurais locais na Feira Agritec, realizada em São Bento (MA), a discussão da participação do município nos conglomerados de saúde e a possibilidade da formação dos guardas municipais pela Academia da Polícia Civil do Estado.

Na programação do Projeto Porto Comunidade serão disponibilizados ainda pelas equipes do Governo do Maranhão e Prefeitura de Alcântara palestras sobre cooperativismo e associativismo, serviços da Carreta da Mulher, consultas e exames médicos, atendimento nutricional, aferição de pressão, informações e cadastro para o Bolsa Família e Cad Único, dentre outros serviços. Participe e avise a comunidade.